FACULDADE ALAGOANA DE ADMINISTRAÇÃO E INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE ALAGOAS

Esqueci minha senha | Como acessar

Produção dos Alunos

Artigo baseado no trabalho de Gestão em Capital Intelectual sob a orientação da Prof.ª Patrícia Borsato.

Quem poderia imaginar que a Ciência da Administração seria alavancada de forma tão impetuosa? Agora, mais do que nunca, torna-se um grande paradoxo a seguinte frase: “O homem vale pelo que tem, e não pelo que é”. O conhecimento virou a matéria-prima do ser humano, produzir mão-de-obra qualificada ou possuir um belo organograma empresarial são coisas do passado. Em pleno século XXI, uma das melhores formas de agregar valores em uma organização, em prol de seu(s) objetivo(s), é a GESTÃO DO CAPITAL INTELECTUAL.

Cada indivíduo possui um conjunto de talentos, que consiste em capacidades, habilidades e idéias. Dessa forma, o que há de mais importante em uma empresa são os colaboradores (STAKEHOLDER´S). Eles são os “INSIGHTMEN”, ou seja, homens que contêm perspicácia e visão ampla dos fatos, suas produções são frutos de seus conhecimentos. Pois não é mera ideologia ou utopia. Muitas empresas felizmente tiveram de rever seus conceitos, suas teorias, para entenderem que a forma mais adequada para administrar seria utilizar uma gestão inusitada. Mas, não basta ter capital humano, é fundamental às empresas investirem em capital estrutural[1] e capital do cliente[2].

Contudo, “o capital intelectual não é criado a partir de partes distintas de capitais humanos, estruturais e do cliente, mas do intercâmbio, da interação entre eles”

Luciano Peixoto
Estudante do 2º período de Administração em Marketing pela Faculdade Alagoana de Administração - FAA.